Amigos com benefícios I - Contos Eróticos

Histórias eróticas para mulheres livres. Se inspire e desperte a sua imaginação para sentir na intensidade que você deseja. Contos para gozar, se deleitar. Na vida, no quarto e na cama.

Era dia de tomar uns bons drinks com o Dan, meu amigo confidente e ex-colega de quarto, 100% sem filtros.

- Eu achei que você e o Miguel não estavam mais juntos. Ele não é uma merda na cama?
- Haha, para de ser estúpido Dan. Ele é um cara legal.
- É, mas ser legal nunca vez ninguém gozar...
- Não que era ruim, ruim. Mas era uma amizade colorida que definitivamente deveria ser mais colorida. Ter mais benefícios.
- Um brinde aos benefícios. E que tipo de benefícios estamos falando? "Eu preciso de umas bolsas Gucci..."
- Hahaha, nada disso. Eu queria umas coisas mais quentes e ele não tava entendendo que eu tava querendo apimentar. Tipo, queria que ele me chamasse de nomes ou me desse uns tapinhas, sabe?
- Ah, sim.
- Ele era meio robótico. Tipo, como se ele estivesse seguindo um roteiro de um filme pornô amador.
- Então porque você saiu com ele?
- Bom, ele é alto.
- Hahaha, ótimo motivo.
- Mas sério. Eu gostei de como ele é espontâneo e autêntico.
- Como assim?
- Por exemplo, ele adora fazer umas coisas bizarras. Tipo, ele pegou uma balsa um dia só por pegar na Lagoa e acabou parando em um bar com karaokê de meia idade. Sim, eu sei que é bizarro, mas eu curti ele ser meio esquisitão.
- Eu te entendo. Teve uma vez que eu tava saindo com um personal trainer e ele me chamou pra um stand up que ele estava apresentando. Foi uma merda, mas foi tão ruim que eu amei.

Quase engasgamos. É, não é só a mulher hétero que sofre.

- Então, você acha que vocês vão se encontrar de novo?
- Hm, acho que sim, nós sentimos algo um pelo outro. Mas nós estamos meio empacados porque ele vai mudar pra outra cidade no fim do verão...
- Putz, que péssimo. Como se fosse muito cedo pra namorar mas também muito cedo pra ter sentimentos um pelo outro...
- É! Exatamente.
- Às vezes você só precisa de um tempo, amiga.
- Vamos ver. Ele vai vir aqui hoje.
- É assim que você me expulsa daqui, hahaha?
- Sim, lógico. Acabamos de acabar uma garrafa de vinho.
- Você é péssima!

Quando o Dan foi embora, coloquei uma música alta dos anos 80 pra me animar acabar de colocar a minha casa no lugar. Ainda faltava muito pra arrumar... De repente, escutei o interfone.
Merda.

- Oi!
- Ah! Oi!
- Qual foi essa música ruim?
- Hahaha, eu tava tentando me animar pra acabar de arrumar...
- Sei. "80% da estante de livro pronta". Hahaha, isso é sua cara.
- Eventualmente fica no lugar. Você conhece meu TOC.
- Esse lugar parece muito vazio sem o Dan deitado no sofá.
- Eu sei! Ele era melhor coisa dessa casa. Eu vou ali no banheiro rapidinho mas nós podemos ir para o bar ali na esquina.
- Tá ótimo.

Quando voltei, lá estava ele com o martelo e os parafusos na mão acabando a estante.

- Ei, o que você está fazendo?
- Não consegui me segurar.
- Haha, é fofo da sua parte. Mas você não precisava.
- Não, tá tudo bem.
- Posso ao menos pegar uma cerveja pra você? Tá muito quente aqui dentro.
- Ah, por favor.

Mais tarde, estávamos no jardim conversando.

- Você quase ser expulso do casamento que eu estava cantando não é exatamente apoiar minha arte - disse rindo.
- Olha, aquele segurança era muito apaixonado pelo o que fazia. Tenho que respeitar.
- Bom, você tentou. - ele era muito fofo

Olhei pra ele e seus olhos azuis brilhavam na noite. Nos beijamos.

- Eu queria te beijar de novo.
- Eu também.

As coisas começaram a esquentar e resolvi ser honesta e aberta com o que aconteceu, antes que a noite pudesse desandar.

- Olha, eu queria te falar que eu sei que pedi umas coisas coisas aquela noite que talvez você não quisesse ou ficasse confortável. Eu não quis ser esquisita, sei lá.
- Não, não. Eu só estava meio tímido. Eu não sabia o que tava rolando entre a gente. Então fiquei meio surpreso.
- Sim...
- Você quer me dar outra chance?
- Outra chance?
- Sim. Foda-se o bar. Quero te vendar.
- Tá bom?!
- Sim, vamos. Eu sonhei em fazer isso com você. - ele falava enquanto colocava o tecido na frente dos meus olhos e me levava pro quarto.

Não ver nada deixou meus outros sentidos muito mais aguçados. Eu conseguia sentir o vento na minha nuca, seus dedos, seus beijos, tudo mais claro.

- Isso tá muito gostoso...
- Ótimo.

Ele beijava meu pescoço e ia desabotoando minha camisa.

- Eu amo essa parte aqui em cima do seu umbigo. Porra. Você acabou de se depilar?
- Sim...
- Tão macia... quero esfregar minha cara toda aí.
- Tira os meus shorts, vai...
- Vendada e ainda por cima dando as ordens...
- Haha, mas eu gosto quando você dá as ordens.
- Você gosta de não saber aonde eu vou te beijar em seguida.
- Sim... Hm...

A essa altura eu estava encharcada.
- Vou colocar meus dedos no seu clitóris. Assim. - não conseguia mais me conter e comecei a gemer alto. Ele sabia o que estava fazendo.
- Ai, você não pode me comer agora? Eu quero te sentir...
- Não. Ainda não.

Senti seus passos pelo quarto e o barulho do zíper abrindo.

- Aonde você está?
- Estou no final da cama.
- O que você está fazendo?
- To me masturbando te vendo, sua gostosa.
- Eu te deixo excitado?
- Demais. Eu amo seus peitos. Sua bunda. Eu sonho com você sempre que não estamos juntos.
- Isso, continua a falar...
- Eu vou te fuder até você gritar.
- Sobe logo em cima de mim...

Ele não esperou duas vezes. Senti ele subir e me penetrar. Gememos juntos.

- Continua a falar...
- Como você é apertada. Eu sonho com você toda noite, meu pau dentro de você bem fundo. Como você é diferente.
Ele continuava com o ritmo intenso. Eu já estava chegando a um ponto onde não tinha mais retorno.
- Goza comigo. Vai... Vou te comer todos os dias desse jeito.

Chegamos ao ápice juntos. Abraçados, nos olhamos e rimos.
Teria que dar um novo relatório pro Dan...

Vai rolar uma próxima vez? Dan vai realmente ver ela mais vezes com outros olhos? Descubra.

(Veja a continuação do Amizade com Benefícios)

 

Tradução livre de podcast publicado originalmente no Dipsea. Escute o áudio original.

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

1 comentário

Ótimo…aguardo outros capítulos…

Edeilza 08 janeiro, 2021

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima