Nas travessuras das noites eternas - Contos eróticos

Histórias eróticas para mulheres livres. Se inspire e desperte a sua imaginação para sentir na intensidade que você deseja. Contos para gozar, se deleitar. Na vida, no quarto e na cama.

Camisetão, calcinha e a descoberta, por Fernanda & Marina, do prazer intenso nas pequenas rotinas do dia a dia. 

Faz frio em São Paulo. Garoa como de costume no mês de julho. Num apartamento no centro da cidade, Marina e Fernanda se encontram depois dos trabalhos. Encontram-se é modo de dizer: estão ambas trabalhando de casa, mas como brigaram pela manhã, logo no café, passaram o dia se escondendo pelos cômodos. Às 19h foi inevitável. « Vou fazer a janta, você quer comer algo? », foi Marina a proferir a quebrada inicial de gelo. Fernanda responde que sim, sem cruzar o olhar. Abre uma cerveja, senta no sofá, deita a cabeça para trás e respira profundamente. Deseja Marina com cada célula do seu ser. Foi assim desde o primeiro dia, num bar sujo da Augusta, quando um amigo as apresentou já prevendo o que aconteceria. Desde então, sua vida orbita em volta daquele corpo pequeno, macio, quase sempre quente em contraponto ao seu: constantemente uma pedra de gelo. 

Lembra da primeira vez que suas mãos encontraram os peitos miúdos e durinhos. Da água na boca que sente quando vê Marina fazer qualquer coisa banal — do jeito avoado como se lambuza toda vez que come macarrão com molho ao modo como se joga em qualquer cantinho que tenha sol, camisetão e calcinha, para ler mais uma página daquele livro que está viciada. A mente voa e para no prazer inenarrável que sente toda santa vez que, cansada do dia corrido, enrosca seu corpo gelado no dela embaixo das cobertas e espera que as temperaturas se ajustem. Não quer brigar, não gosta de brigar, precisa não brigar. Mas às vezes acontece. E quando acontece estremece. Tem medo do desgaste, do distanciamento, da falta. Fica sempre com a sensação de que há algo entalado na garganta. Um peso no peito. Marina percebe. Para o que está fazendo na cozinha e vai até a sala. Ajoelha-se no chão e deixa sua cabeça cair em cima do colo de Fernanda.  

Fica assim por um tempo até que, quando vê, está roçando o rosto por cima de sua calça de moletom surrada. Sente tesão com a rotina, fica louca mesmo é na intimidade. Saber do que a outra gosta, traduzir seus gemidos, entender os limites e extrapolar as bordas autorizadas. Sempre foi assim. Levanta-se, então, e senta em cima de Fernanda. Faz movimentos para frente e para trás, gruda cintura com cintura. Fricciona. Pega Fernanda e a derruba no tapete. Tira sua roupa. Lambe seus pelos. Quer enchê-la de prazer. Um dedo, dois, três. Ouve aquela respiração que Fernanda faz quando se entrega. Fica molhada também. As mãos passam a tatear qualquer centímetro de pele. « Amora é amor no feminino », pensa. « E só quem tem a sorte de amar uma mulher sabe do que se trata. » 

Volta para o agora: os sexos se encontrando. Vem e vai. Puxa seu cabelo e beija seu pescoço. Fernanda geme alto. Marina desce lambendo sua barriga e estaciona em sua vulva. Não se lembra da última vez que amou assim, de querer fazer morada dentro de alguém. Quer que Fernanda goze. Que sinta o quanto é desejada, amada, enxergada, querida. Sente os braços de Fernanda a entrelaçarem com força e sabe que aquilo é um pedido de desculpa. Se apertam. Choram de amor. Sabe que Fernanda está quase. Ela grita e libera estresse medo insegurança prazer. Tudo correndo solto. O corpo relaxa. Marina sobe, se aninha no colo de Fernanda e adormecem ali mesmo, no chão. Faz frio em São Paulo, mas não mais na sala daquele apartamento no centro da cidade. Não entre os corpos agora hermeticamente aquecidos e entrelaçados de Marina e Fernanda.

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima