Como a amamentação afeta sua vida sexual

Quando se trata de sexo e amamentação, às vezes os dois podem parecer mutuamente exclusivos. Afinal de contas, os seios não são concebidos biologicamente com o único objetivo de produzir leite e nutrir seus filhos? Felizmente, a resposta é não. Tratar os seios como se fossem apenas máquinas produtoras de leite é reduzir um potencial incrível de prazer. Eles também podem ser uma fonte incrível de prazer sexual, tanto física quanto visualmente - mesmo quando estão em lactação. Estamos, porém, presos em uma cultura que glorifica os seios para fins sexuais, enquanto alguns acham o ato de amamentar uma criança pequena estranhamente perverso. 

Como a amamentação afeta a sua libido

Os pais de bebês e crianças pequenas têm diferentes níveis de desejo sexual. Não importa se você tem uma alta libido, não tem nenhum desejo de atividade sexual, ou se encontra em algum lugar intermediário - tudo isso é perfeitamente normal. Pode haver, entretanto, uma relação entre a libido e os hormônios responsáveis pela lactação. De acordo com a Dra. Susan Kellogg-Spadt, "é bastante comum que as mulheres que amamentam experimentem uma diminuição do desejo, mesmo depois de meses após o parto". Ela diz que isso provavelmente acontece devido ao efeito que a amamentação tem sobre os hormônios estrogênio, prolactina e testosterona. Os níveis de estrogênio são frequentemente mais baixos durante a amamentação, portanto o canal vaginal pode não ser tão úmido ou flexível, o que pode levar à dor ou desconforto durante o ato sexual. Os níveis de prolactina são mais altos e servem para reduzir o desejo sexual. 

A testosterona, muitas vezes confundida como um hormônio "masculino", é na verdade mais baixa do que o normal nas pessoas que estão amamentando, o que desempenha um papel no desejo sexual. Acrescente isto a todo o trabalho que se dedica a cuidar e amamentar um pequeno ser humano, e você poderá descobrir que o sexo está (compreensivelmente!) no final de sua lista de tarefas.

A amamentação ainda tem um estigma

As culturas ocidentais tratam a amamentação como algo inerentemente dessexualizado - como se no momento em que um recém-nascido mama, os mamilos automaticamente deixam de ser uma fonte de prazer. Este é um mito nocivo que ensina aos pais que amamentam que sua sexualidade está suspensa durante todo o período da amamentação. Muitos pais bem intencionados aliviam a ansiedade social sobre a amamentação explicando às pessoas que a amamentação não é algo sexual. Mas e se isto não for inteiramente verdade para todos? E se discutirmos sobre o prazer físico satisfatório que uma mãe lactante sente em nutrir um bebê com o leite? Ou o fato de que os mesmos "hormônios do amor" liberados durante o orgasmo também são liberados durante a amamentação? 

Pode haver uma relação entre a libido e os hormônios responsáveis pela lactação

Em seu livro Breastwork: Rethinking Breastfeeding, Alison Bartlett, pesquisadora australiana da sexualidade materna, argumenta que "a amamentação é aceita como uma experiência potencialmente erótica ou sexual, em vez de ser colocada em quarentena nos domínios do valor nutricional e dos benefícios médicos". Amamentar, erótico? Se esse parece ser um conceito desconfortável para você, você certamente não está sozinho. Somos obrigados a navegar neste estranho paradoxo de hipersexualizar as mulheres enquanto dessexualizamos as mães, de modo que uma mãe que amamenta, especialmente uma mãe de primeira viagem, pode achar chocante experimentar essa mudança de identidade tão rapidamente. Encontrar prazer (tanto físico quanto emocional) nesta nova intimidade e corpo pode ser muito poderoso.

Dicas para navegar no sexo e na amamentação

Plano A, B e talvez C: Quer você esteja exclusivamente amamentando, suplementando com fórmula ou amamentando um bebê ou criança, você provavelmente está muito familiarizado com o fato de que seu filho não pode ficar muito tempo sem querer amamentar novamente. É por isso que o planejamento (e o plano B) da atividade sexual com seu parceiro ou consigo mesma é tão importante. Pode parecer pouco sexy, mas com a carga de trabalho que você tem para manter seu filho pequeno feliz e alimentado, é muito provável que o sexo não aconteça de forma tão espontânea.

Portanto, se seu filho se acomodou em uma rotina de sono, tente mapear como você pode inserir um tempinho consigo mesma e/ou com seu parceiro de intimidade. Você pode não ter vontade de "ir até o fim", o que é totalmente normal e compreensível, mas uma boa sessão de carinho e de curtição pode ser a chave para ajudá-la a se reconectar com eles e consigo mesma. 

Se o seu objetivo é criar uma maior intimidade sexual, então pode ser útil ter planos de reserva para se (vamos ser reais, quando) seu bebê interromper. Muitos pais que amamentam usam a amamentação como uma ferramenta efetiva para proporcionar conforto e nutrição, então você pode descobrir que quando ouvir seu filho aborrecido na sala ao lado, você quer correr e amamentá-lo imediatamente - e não tem problema. É aqui que entra a luta com esse tabu complicado: a amamentação e o sexo não são mutuamente exclusivos. Não tem problema algum em fazer uma pausa para cuidar deles e depois ter um momento de intimidade, se ainda estiver interessada.

É perfeitamente compreensível se sentir super estimulada no que diz respeito ao toque físico.

Planeje com cuidado antes do sexo. A última coisa que você quer enquanto tenta se divertir é começar a se sentir desconfortável. Sem mencionar que perturbar sua rotina de fluxo de leite pode, na verdade, levar ao bloqueio de dutos ou mastites, ambos dolorosos - e que podem ser difíceis de tratar. Portanto, é útil drenar os seios, seja tirando um pouco de leite ou amamentando antes de qualquer atividade sexual prolongada para ter certeza de que você está confortável. Também pode ser útil conversar com seu parceiro sobre o que ele/ela sente sobre possíveis vazamentos. 

No final do dia, você pode se sentir diferente. É perfeitamente compreensível e incrivelmente comum sentir que você está exageradamente estimulada, no que diz respeito ao toque físico. Além da amamentação, você provavelmente já foi vomitada, puxada e mordida em seus seios. A simples idéia de compartilhar seu corpo com outra pessoa depois de ter cuidado de seus filhos o dia todo pode ser realmente brochante. Se este for o caso, e você ainda estiver perdendo uma conexão sexual consigo mesma, tente não se sentir culpada por querer se masturbar mesmo sabendo que seu parceiro está desejando intimidade com você. Certamente, tenha uma conversa empática com eles sobre suas necessidades, mas também afirme sua própria necessidade de se masturbar. 

Use vibradores!

O período pós-parto dura muito, muito mais do que algumas semanas. Embora seu médico possa liberá-la para a atividade sexual na marca das seis semanas, você pode descobrir que ainda está um pouco doída desde o nascimento e começando a amamentar. O nascimento e a amamentação são experiências de corpo e mente inteiros, portanto você pode se sentir nervosa em relação ao sexo. É aqui que os vibradores podem ser úteis. Se você tiver muita ansiedade e estiver confortável com a masturbação, você pode tentar brincar sozinha com seu vibrador bullet no início. Os vibradores também podem ajudar a alcançar o prazer e o orgasmo um pouco mais rápido - coisa super útil para uma mãe de um recém-nascido. 

Escrito por Sandra Carpenter. Tradução livre de artigo publicado originalmente no Swell. Leia o artigo original. 

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima