Como ter mais orgasmos com um parceiro

A maioria das mulheres ao se masturbar sozinha conseguem gozar em menos de dez minutos. No entanto, quando se trata de fazer sexo com um parceiro, apenas cerca de 50% das mulheres conseguem ter um orgasmo consistente, enquanto os homens quase sempre têm orgasmo. Se for um primeiro encontro sexual, as mulheres só ter orgasmos em 11% das vezes.

A lacuna do orgasmo - ou pleasure gap - é provavelmente o produto de nossas normas e expectativas culturais em torno do sexo. Não é a conseqüência natural das mulheres simplesmente não precisarem ou não se importarem com os orgasmos. Um estudo pesquisando mais de seis mil mulheres descobriu que a maioria das mulheres sente que é muito importante o orgasmo durante o sexo em parceria.

Se você tem uma rotina de masturbação regular mas ainda está lutando para gozar quando está na cama com uma parceria de intimidade, aqui estão algumas dicas para ajudar você a gozar.

Técnica de sexo

Os orgasmos são normalmente produzidos estimulando nervos na região pélvica que correspondem o clítoris, a vulva e ao colo uterino. Dito isto, a maioria das mulheres precisa de algum tipo de estimulação do clítoris para atingir o orgasmo. Informar seu parceiro sobre isso pode aumentar muito sua chance de ter um orgasmo.

O clitóris

Freud começou um pequeno boato no século XIX de que as mulheres maduras e saudáveis tinham orgasmos através da penetração sozinhas ao invés vez de ser pelo clitóris. Ele estava (bem) errado. Mais de 80% das mulheres precisam de estimulação do clítoris durante o sexo em parceria para chegar a um orgasmo.

Felizmente, há muitas maneiras de incorporar a manipulação do clitóris em qualquer tipo de sexo. Você pode pedir a seu parceiro para tocar seu clitóris da maneira que você gosta enquanto está sendo penetrada. Há também muitos vibradores projetados para estimular o clitóris durante o sexo em parceria - como o Bullet Lilit. Procure por brinquedos que sejam fáceis de segurar ou que se encaixem naturalmente entre dois corpos.

Sexo oral

Incluir sexo oral em qualquer tipo de encontro sexual, seja com um encontro único ou com um parceiro de longa duração, duplica suas chances de ter um orgasmo.

O problema é que muitas mulheres já sabem que ter um parceiro ajuda, mas não pedem sexo oral porque acreditam que seus parceiros não gostam de fazer isso. Isto é totalmente compreensível, uma vez que nossa cultura nos diz que as vulvas são nojentas e de mau gosto. Mas nem tudo está perdido de acordo com um estudo, cerca de 90% dos homens cis heterossexuais relatam que realmente gostam de fazer sexo oral. Portanto, dê a si mesma permissão para relaxar e perguntar.

Tempo

Quando o sexo em parceria dura mais de quinze minutos, há uma probabilidade muito maior de que uma mulher tenha um orgasmo. Todos sempre sugerem em fazer mais preliminares, mas concentre-se no que realmente é natural e gostoso para você e a outra pessoa.

Se você tem um parceiro regular, pense no que você normalmente faz quando o sexo dura mais tempo. Se você estiver com alguém mais novo, mudar entre várias posições diferentes durante o sexo é uma boa maneira de fazer com que dure mais tempo.

Experimente algo novo

Um ponto em comum para muitas pessoas é incorporar uma nova técnica sexual em seu repertório atual. Muitas vezes, estes são os momentos em que as pessoas ficam nervosas demais para relaxar, os egos se machucam e ninguém se sente bem transando.

Uma maneira de diminuir a pressão aqui é tirar o orgasmo do foco enquanto você brinca com uma nova técnica. Tente trocar de lugar com seu parceiro por períodos de tempo determinados enquanto testa novos movimentos. Isto cria um espaço onde você ainda pode ser recíproco com seu parceiro e não precisa se preocupar com o objetivo final ou com o tempo que você está demorando.

Preste atenção a você mesma

Saber fazer o desejo e o prazer trabalharem para você é importante! Se você está se masturbando sozinha e consegue gozar, mas não está gozando com um parceiro, reflita sobre o que está acontecendo. Sua experiência é diferente quando você está se masturbando em comparação quando você está com alguém?

Pense em como as expectativas sociais ou culturais afetam sua experiência de sexo. Muitas mulheres se preocupam com o aspecto de seu corpo e vulva durante o sexo, se estão demorando muito para gozar, como devem gozar, ou se são boas em sexo, só para citar algumas noias. O que te ensinaram sobre como você tem que parecer e se comportar para ser considerado sexy na cama? Alguma dessas expectativas torna tudo mais difícil?

O sexo está nos detalhes

A clareza sobre quais fatores impactam mais nos seus orgasmos abre espaço para a mudança. Quando se trata de compartilhar estas informações com um parceiro sexual, o segredo é ser específico.

Muitas vezes, parece suficiente dizer: "Você pode tocar mais meu clitóris?” Em vez disso, dê sugestões que orientem seu parceiro sobre como ele pode fazer algo, e não apenas o que ele deve fazer. Por exemplo:

“Notei que os toques leves em meu clitóris me excitam mais, mas para realmente ter um orgasmo, preciso que a pressão aumente gradualmente. Talvez eu possa dizer com mais força quando estiver pronta para mais pressão durante o sexo".

Pedidos detalhados como este são mais fáceis se você conhece bem seu parceiro e pode falar sobre sexo fora do quarto. Mas quando você se encontra com alguém pela primeira vez, a comunicação vai ser diferente. Tente algo simples, mas claro, como:

“Você pode levantar a língua, mas continuar fazendo o que você está fazendo? Sim, isso, perfeito".

Fale em voz alta

Se você não consegue se imaginar dizendo algumas palavras em voz alta, não se assuste. Este tipo de comunicação pode ser incrivelmente desafiador porque as mulheres cisgênero são frequentemente criadas para se afastarem de sua própria sexualidade e não são encorajadas a discutir abertamente o que é bom para elas durante o sexo.

Desafie-se a dar passos menores que a movam continuamente em direção a uma comunicação sobre sexo que lhe pareça fácil e  honesta. Talvez você comece dizendo ao seu parceiro, no momento, o que é realmente bom antes de passar para sugestões específicas - e depois incorporar novas técnicas.

Acima de tudo, confie na sua experiência e o que você já vivenciou ao longo de sua vida. Às vezes não nos damos crédito pelo autoconhecimento que já temos. Afie seus pontos fortes e continue crescendo a partir daí.

SOMOS TODAS LILIT

Ainda existe um longo caminho pela frente para aceitarmos a Lilith que existe dentro de cada uma de nós. Nossa liberdade, nosso potencial erótico. A Lilit, criada em 2019 por Marília Ponte, nasceu para nos conectarmos com nossa essência. Livre, autônoma, completa. 

Junte-se a nossa revolução do prazer.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima