A história da nudez

É só ler o começo de um dos livros mais antigos do mundo (spoiler: a Bíblia) que você descobre que já existiu um tempo que as pessoas - duas delas, especificamente - andavam completamente peladas sem nenhuma vergonha, até a tentação de uma maçã acabar com tudo isso. Mas a realidade é que nós flutuamos com nossos sentimentos em relação à nudez o tempo todo ao longo da nossa existência. Como nós chegamos até a atualidade? 

A nudez na antiguidade

A nudez não era só aceita na Grécia antiga - como era celebrada, como vemos em inúmeras esculturas de deuses e heróis e nas palavras dos poetas. Nós acreditamos que a primeira Olimpíada teve atletas completamente nus, embora os historiadores não tenham certeza se esse era o padrão. Nos simpósios - os banquetes que todos podiam comer, beber e ser felizes - os homens também iam sem roupa alguma. Na Roma antiga a nudez não era tão aceita em público, embora fosse frequente em balneários. E no antigo Egito, a nudez “prática” era aceita para trabalhadores ou dançarinos, mas não era comum. 

 

contos-eróticos-lilit-mito-da-beleza-nudez-antiguidade
    

A cultura do banho

Depois do fim do Império Romano, o cristianismo ajudou na restrição da nudez pública (e a culpa associada ao corpo nu). Mas ao redor do mundo, a cultura do banho muitas vezes persiste. Os hammans turcos, nos onsens japoneses e nas saunas finlandesas continuam - até hoje - a ter lugares para as pessoas tirarem as roupas em público, tipicamente em áreas divididas por gênero.  

 contos-eróticos-lilit

Arte vs. o obsceno

Na Renascença Italiana, o interesse revigorado nos ideais da Roma antiga e da Grécia fez com que os artistas incorporaram a nudez na arte ocidental novamente, depois de anos de modéstia. Nos séculos seguintes, a nudez continuou a aparecer na arte, muitas vezes com a intenção de chocar - a ideia da nudez, no final das contas, não era menos escandalosa que antes. 

Estereótipos arriscados 

O desenvolvimento do daguerreótipo, a forma arcaica da máquina fotográfica, naturalmente incentivou as primeiras fotos nuas, que eram tipicamente de mulheres. Os valores vitorianos frearam as fotos pornográficas, embora tivessem demanda e estivessem sendo produzidos. Em 1857 o Obscene Publications Act tentou dar o poder para o governo inglês frear e destruir fotos eróticas e prender as pessoas que as criavam e vendiam. 

a-história-da-nudez-bullet-lilit-sex-tech-brasileira-marilia-ponte

O empurrãozinho para parar o estigma

No final do século 19, o movimento Freikörperkultur (ou “cultura de libertação do corpo” começou na Alemanha como um levante para parar com a culpa com nudez, e virou o primeiro movimento global de aceitação do lifestyle de naturismo - o que encoraja a ideia que a nudez não é necessariamente sexual. O movimento naturista se espalhou para o restante da Europa, assim como para o Canadá, Austrália e Nova Zelândia - e também no século 20. Nos anos 60, a cultura de naturismo também ficou popular no movimento hippie. 

a-história-da-nudez-bullet-lilit-sex-tech-brasileira-marilia-ponte-Freikörperkultur

Trazendo a sensualidade de volta

Sim, os vitorianos podiam ficar nervosos com a nudez, mas a cultura puritana foi o que impulsionou a criação da cultura do burlesco, que começou no final dos anos 1800. Perto da virada de século, o striptease e o can-can (que se originou no Moulin Rouge, em Paris) viraram fundações para o movimento burlesco e o ato de se despir sensualmente. Em 1920, a primeira dança com pole dance foi performada, e nos anos 60 e 70, e os clubes de strip se espalharam ao redor do mundo - embora a legalidade desses clubes até hoje varie de país para país. 

a-história-da-nudez-bullet-lilit-sex-tech-brasileira-marilia-ponte-cancan-m

Onde estamos hoje

Você pode achar praias e resorts de nudez ao redor do mundo, e a nudez continua comum em balneários. As comunidades naturistas e nudistas continuam a lutar contra os estigmas da nudez, e desde 2012, o movimento “Free the Nipple”, fundado por Lina Esco, vem lutando para descriminalizar e desestigmatizar o topless feminino. 

Ainda existe o tempo e o lugar certo para a sexualidade. E agora, a tecnologia mudou  completamente a dinâmica da nudez. A assinatura na plataforma OnlyFans permite que criadores de conteúdo façam a curadoria de seus próprios vídeos e fotos para seus assinantes, sendo pagos diretamente pela plataforma (o site teve um aumento de 75% nas suas inscrições no começo da pandemia, em Março e Abril de 2020). 

A nossa atitude cultural sobre a nudez pode estar evoluindo e mudando, mas uma coisa é clara: é uma ótima época para se sentir confortável com sua própria imagem nua. 

a-história-da-nudez-bullet-lilit-sex-tech-brasileira-foto-bruna-bento-gabriel-cicconi

 

Escrito por Rebecca DeczynskiTradução livre de artigo publicado originalmente no The Maudern. Leia o artigo original.

 

Foto Capa por Bruna Bento 

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima