Os principais mitos sobre sexo em um relacionamento longo

Meu apetite sexual era ótimo. Meu parceiro me dava aquela piscadinha de olho e pronto, eu já estava tirando minha calcinha e desesperada para transar ali mesmo. Ultimamente eu prefiro o Netflix do que ficar pelada. O que deu errado?

Eu olho para o casal na minha tela. Até vendo eles virtualmente eu consigo ver que eles estão tensos, com olhos cansados, enquanto eles esperam que eu dê o diagnóstico que o relacionamento deles é um fracasso iminente. Ao invés disso, eu disse as três palavras mais poderosas que uma terapeuta sexual pode falar: “você é normal”.  

José e Talisha (nomes fictícios), como muitos de nós em relacionamentos longos, acreditavam que eles deveriam ficar excitados com o mínimo toque ou olhar. É o que falaram pra eles que era normal. Mas não é. Existem mitos duradouros sobre sexo que persistem como baratas que demoram a morrer. É hora de matar esses mitos de vez. 

Mito #1: Sexo é um “apetite”

Eu trabalho com muitos casais no meu programa de terapia online eu tem variações de um único problema: “Existe algo de errado com meu apetite sexual”. Javin transar mais que a Melanie. Samson quer transar toda manhã. Mas Hiriko quer transar essa noite. Simon e Cynthia nunca querem transar. Muitos outros casais me falam que a vontade de fazer sexo é inexistente quando existe interferência do estresse, filhos, menopausa ou dificuldades de ereção. 

É uma tirania a crença que todos nós devemos ter um grande apetite sexual o tempo todo. Não, nós não devemos ter. Na verdade, sexo não é um apetite. 

A biologia básica nos ensina que o apetite é uma necessidade física que você deve satisfazer ou pode morrer. Se você não beber água, você morre. Se você não come, você morre. A fome e a sede são apetites, instintos básicos. O sexo é diferente.

Se você não faz sexo, você não morre. Sim, existe uma grande necessidade biológica de procriar para garantir a sobrevivência da sua genética e linhagem, mas a crença que “você tem um apetite sexual e ele está com defeito” pode te atrapalhar a curtir uma vida sexual rica e prazerosa. 

Mas olhe desse modo: a maioria de nós já experienciou a sensação de nos apaixonarmos por alguém. A bioquímica do tesão cria uma urgência, uma fome pelo contato físico, toque, e por sexo. Nós nos sentimos excitados, focados e com muito tesão. Os especialistas chamam isso de desejo espontâneo. Eu tenho um pensamento erótico. Você me beija ou seus dedos encostam no pulso, e de repente, eu sinto uma forte excitação sexual. Esse tipo de desejo soa como um apetite, um instinto, mas não é. É um estado temporário de excitação emocional e física. Com o tempo, para a maioria dos casais, o desejo espontâneo vai se apagando. Nosso apetite acalma, e podemos ir por semanas e até meses sem querer transar. 

Mito #2: Se eu não quero transar, meu relacionamento pode estar com problemas

A primeira coisa que ensinei para o José e a Talisha e todos os casais na minha terapia é que existe um modelo de três chaves para a paixão: intimidade, excitação e sensualidade. Eu os asseguro que a chave mais difícil em um relacionamento de longa data é a excitação - ou a sensação de desejo espontâneo. Independente do seu sexo e gênero, não importa quem você ame, o tesão louco do começo de um relacionamento começa a diminuir com o tempo assim que você resolve ficar fixa com o mesmo parceiro. (E isso é completamente normal!).

E se você quiser continuar a beijar mesmo que você não sinta tesão?

Os casais podem encontrar problemas se esperarem que o tesão dure para sempre. Mas quando o tesão não aparece na hora que eles querem, esse casais podem cair na armadilha de achar que não estão se sentindo mais atraídos pelo parceiro. Isso não é verdade. Os casais têm que entender que existe outra maneira de ficarem excitados, o que os especialistas chamam de desejo responsivo

Esse é o desejo sexual e excitação que surgem como resposta à circunstâncias ou contexto. Por exemplo, quando você beijou o seu parceiro pela primeira vez, lá atrás, você se sentiu excitada sem o menor esforço. Mas depois de anos o beijando, a excitação do desejo espontâneo é tão raro como um filho adolescente querendo lavar as louças de casa. Pode acontecer - mas você não deveria contar com isso. 

Então, quando você beijar seu amor, você pode pensar “nossa, isso foi bom” e pegar o controle remoto. Mas o que pode acontecer você continuar a beijá-lo mesmo que não se sinta excitada? 

De acordo com uma pesquisa sobre desejo responsivo, você pode começar a transar e acreditar que o desejo vai surgir - não instantaneamente, mas como resposta de um estímulo. Existem muitas razões para fazer sexo, e ter tesão é apenas uma delas. E se você começar a procurar a proximidade com o parceiro ou o relaxamento depois ter um orgasmo, ou apenas porque você acredita que sexo regular é importante? Ao invés de esperar a paixão, crie-a e vire a paixão que você procura. 

Muitos de nós acreditamos que exercícios físicos são importantes. Você vai para academia com o desejo espontâneo de suar em leggings apertadas ou pegar aquele peso? É claro que não. E mesmo assim, você continua a ir. 

José e Talisha ficaram muito aliviados em saber que eles não estão destinados a um casamento sem sexo. Eles podem fazer um compromisso para tornar a vida sexual deles mais intencional. O desejo responsivo sugere que você trate sua vida sexual como ir para academia. Vá porque você sabe que é bom para você. Sue e faça o esforço. E o mais importante? Faça regularmente, e você vai sempre ficar contente no final das contas. 

Mito #3: Eu só devo iniciar o sexo quando eu estou no clima

Terry, um estudante do meu programa online, colocou dessa forma: “Quando minha parceira inicia, eu me excito no processo. Mas e se eu nunca começar a pensar sobre sexo? Isso nunca é prioridade na minha cabeça…”

O Terry estava tratando sua vida sexual como um carro antigo. Um exemplo do que eu quero dizer é meu carro novo. Quando eu aperto o acelerador, eu adoro a sensação boa de resposta imediatas. Meu carro é um ótimo amante: é divertido, me faz me sentir bem, é legal. Mas assim que o tempo passa e meu carro passa ter algumas arranhadas, a novidade parece ficar antiga. Eu começo a não dar tanta bola pra ele. Ele fica ali na garagem e tenho que fazer esforço para pensar nele. Meu desejo responsivo para dirigir o carro diminuiu. 

Os casais que dão certo gostam de fazer da vida sexual deles um hobbie. Eles escolhem tornar a paixão uma prioridade.

Mas o que carros e tesão têm em comum? Deixa eu te ensinar sobre duas chaves para o que eu chamo de motor do erótico: o desejo e a excitação. 

O desejo é a parte mental da motivação sexual. Por exemplo, você pode criar uma fantasia de estar transando com o seu parceiro, pode até decidir que vocês podem ficar uma hora imaginando e se conectando eroticamente - apenas na mente. Esses pensamentos ajudam a estimulação sexual com o parceiro. 

A excitação é o aspecto físico de estar com tesão (lubrificação, ereção, arrepios, mamilos eretos). É a motivação física que começa a conexão sexual. 

“E agora a parte legal” - eu falo pro Terry, e todos os outros casais inscritos no programa - “Qualquer chave, independente que seja desejo ou excitação, pode começar a excitação.” Como o Terry não consegue ter muita excitação física espontânea, eu ajudo ele a cultivar o desejo mental e usar a cabeça dele para poder transar. Ele se sente empoderado com esse conhecimento, e pela primeira vez em cinco anos, ele começa a iniciar o sexo mesmo quando ele não está no clima. E é assim que fizemos:

“Quando a Erin quer fazer amor de tarde, eu tô nem um pouco afim de transar. Fico distraído com o trabalho e as tarefas”. - ele me disse. Eu o aconselhei a planejar. Ele toma um longo banho no chuveiro depois do trabalho, relaxando seus músculos e aliviando a mente. E então, ele começa a imaginar como vai ser legal ficar deitado abraçado pelado com a Erin. "Eu ainda posso não estar com tesão, mas pelo menos estou mentalmente interessado em fazer algo sexual, sabe?”

Sim, eu sei como é. Como a educadora sexual Emily Nagoski fala, desejo é uma curiosidade. O Terry escolheu deliberadamente a pensar sobre sua sexualidade ao invés de esperar uma vida sexual incrível cair no seu colo. Ele aprendeu que o sexo não é um apetite, e que sua sensualidade inerente é como um lindo veículo parado dentro da sua garagem parado, acumulando poeira. E ele tem as chaves. 

Não está com vontade? Não deixe isso te paralise, porque o sexo bom - bom de verdade - está todo dentro de nossas cabeças. 

Mito #4: Planejar é brochante 

No meu programa eu tenho uma etapa que peço para todos os casais criarem o que chamo de “Planejamento da paixão”. Por quê?

Porque todos os casais bem sucedidos fazem a sua vida sexual virar um hobbie. Eles escolhem fazer a paixão virar uma prioridade. Eles investem tempo no relacionamento,a eles definem metas, eles passam a valorizar a importância da vida sexual. No final do programa, José e Talisha criaram metas diárias, semanais e anuais. Por exemplo, eles combinaram em dar um beijo (de língua) toda noite. Talisha se compromete a fazer saídas a dois fora de casa, sem crianças, todo domingo. José se compromete em aprender mais sobre o sexo tântrico e diz que vai trazer novas coisas pra cama. Eles concordam que uma vez por ano os dois vão fazer uma viagem romântica para algum lugar com sol e areia. As metas são específicas e os dois combinam que vão acompanhá-las.    

Eu acho que nós devemos nos perguntar: o quanto esforço eu estou depositando para criar um relacionamento incrível? Porque o grande amor e a paixão não acontecem por acidente. 

Casais incríveis são como você, mas eles aprendem as chaves para um sucesso de um relacionamento e as utilizam. Vão todos combinar de fazer nossos motores funcionarem: um gesto, um abraço, um toque por vez. 

Artigo escrito por Cheryl Fraser. Tradução livre de artigo publicado originalmente no Swell. Leia o artigo original. 

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima