Orgasmos e sexo quando você está grávida

Tudo o que você tinha muita vergonha de perguntar sobre orgasmos, sexo e gravidez

Muitas mulheres se preocupam que o sexo ou orgasmo podem machucar o seu bebê ou ameaçar sua gravidez. E os homens também medo de machucar sua parceira grávida e seu filho não nascido durante o sexo. Mas não poderia ser mais o contrário: para a grande a maioria das mulheres, sexo e orgasmo não são só seguros durante a gravidez mas também são uma forma saudável de reduzir o estresse e promover o bem estar emocional. 

As pesquisas mostram que o sexo não aumenta as chances de riscos para a mãe ou para o bebê. Em uma gravidez normal e saudável, o orgasmo não aumenta o risco de aborto ou de parto prematuro. A atividade sexual pode, inclusive, ter benefícios de saúde como o aumento de hormônios como ocitocina e serotonina e aumentar o fluxo sanguíneo e de oxigênio para o útero. 

Embora todos nós sabemos que o sexo é, na maioria das vezes, a forma mais popular de fazer uma pessoa ficar grávida, muitos de nós ainda temos medo de falar sobre sexo e gravidez. Você pode ter perguntas que gostaria de falar para seu médico, mas tem vergonha de perguntar. E seu médico pode ficar hesitante em trazer esse tópico à tona. 

“Todo mundo fica desconfortável em falar sobre sexo” conta o médico Michael Krychman, diretor do Southern California Center for Sexual Health and Survivorship Medicine - “Os médicos não perguntam, os pacientes não falam. É importante os dois lados conversarem sobre sexo abertamente”. 

Quando o sexo não é seguro

Existem algumas situações específicas para quando o sexo e o orgasmo podem ser arriscados durante a gravidez. O seu médico poder recomendar você não fazer sexo se:

  • Você está com um sangramento não explicado. Sangramentos durante a gravidez são normais, especialmente depois de fazer sexo. Isso ocorre porque o cérvix é atingido durante a penetração (e isso é normal). No entanto, o sangramento durante a gravidez pode ser um sinal preocupante. Nos primeiros meses de gravidez, o sangramento pode ser um sinal de aborto. Seu médico pode recomendar você se abster de fazer sexo por um período. 
  • A placenta cresceu em cima da parte uterina errada. Conhecida como placenta prévia, isso ocorre quando a placenta “agarra” na parte inferior da parede uterina e cobre parcialmente ou totalmente seu cérvix. Nesse caso, o sexo é arriscado.
  • Você foi diagnosticado com Incompetência istmo-cervical. Isso acontece quando o cérvix não continua forte e fechado, como deveria. A pressão da cabeça do bebê no seu cérvix pode causar sua abertura prematura, às vezes virando uma perda no segundo semestre. Um procedimento cirúrgico é feito para manter o cérvix fechado. A maioria dos médicos sugere não fazer sexo ou limitar bastante o sexo. 
  • Sua bolsa estourou. Sexo quando a sua bolsa estoura pode aumentar os riscos de infecções. Isso pode complicar o parto.
  • Se você está grávida de trigêmeos ou mais gêmeos. Quando o seu útero está esticado mais do que o normal - como quando você fica grávida de trigêmeos - o orgasmo pode aumentar as chances de parto prematuro. 
  • Se você tem risco de parto prematuro por outros motivos. Não é porque você teve um parto prematuro no passado que você vai ter necessariamente um agora - e isso significa que você não tem que se abster de sexo só por por precaução. Entretanto, existem algumas situações em que algumas limitações sexuais podem ser uma boa opção. 

Outra preocupação com o sexo é a introdução de bactérias no útero. Algumas infecções bacterianas podem aumentar o risco de parto prematuro, e o sexo pode introduzir bactérias para o sistema reprodutivo.

Entretanto, o sexo só é associado ao risco de partos prematuros quando uma mulher teve vários parceiros sexuais antes da gravidez. Isso têm relação com a dificuldade de pegar uma infecção não diagnosticada - que estava presente antes da concepção - e isso não tem nada a ver com o sexo durante a gravidez. 

É importante saber que a comunidade médica tem posições diferentes sobre quais situações você deve se abster de sexo. 

Não se abstenha de sexo se o seu médico não achar necessário. Antes que você se abstenha, procure seu médico.

Limitações sexuais

Se o seu médico recomenda restrições sexuais durante sua gravidez, tenha certeza de perguntar tudo o que tiver dúvida. Se você está com vergonha ou sem graça, escreva as questões antes no celular ou papel e traga para a consulta. Isso pode ajudar na hora de perguntar. 

Descubra o quanto tempo essas restrições vão durar. Por exemplo, se você tiver sangramento no início da gravidez, seu médico provavelmente não vai querer que você se abstenha de sexo para o resto da sua gravidez. As restrições podem se estender até você parar de sangrar ou em alguma data combinada com o médico. 

Alternativas para o sexo com penetração

Se a penetração não for permitida, descubra sobre outras formas de atividade sexual. Por exemplo, em alguns casos, o orgasmo pode ser ok a não ser que tenha penetração.   

  • Masturbação: A masturbação é segura durante uma gravidez normal. Em algumas situações, seu médico pode aprovar apenas a masturbação e restringir a penetração. 
  • Vibradores: Eles são seguros durante a gravidez. “Vibradores são ótimos. Não vão prejudicar o feto ou o bebê” - conta o Dr. Krychman, que escreveu o livro 100 Questions & Answers About Women's Sexual Wellness and Vitality. O médico recomenda higienizar e lubrificar quando for usar um vibrador - um conselho ótimo (esteja você grávida ou não).
  • Intimidade física: Se o médico recomenda algumas limitações, lembre-se que você pode sempre explorar com toques como abraços, conchinhas, massagem, beijos e carinho. Tudo é sexo!

O sexo na gravidez, trimestre por trimestre. 

Enquanto o sexo e orgasmo pode ser mais prazeroso enquanto grávida, existem outros desconfortos da gravidez que podem atrapalhar. Não fique surpreso se você sentir tesão do nada ou se baixar a líbido (também do nada).  

Primeiro trimestre

Durante o primeiro trimestre, enjoo matinal e fadiga podem prejudicar a atividade sexual. No entanto, isso não significa que você não vai querer transar. Você ainda vai sentir um aumento de fluxo sanguíneo e sensitividade na sua pelve e seios. Mas para algumas pessoas, o enjoo pode ser constante. 

Segundo trimestre

O melhor sexo na gravidez vai provavelmente acontecer no segundo trimestre. Isso é devido a diminuição do enjoo matinal e fadiga, e é só no terceiro trimestre que a cabeça do bebê pode prejudicar o sexo e levar ao desconforto físico. 

Terceiro trimestre

No terceiro trimestre da gravidez, seu abdômen distendido pode prejudicar o sexo. Ainda é possível transar mesmo com a barriga grande, mas você tem que ser mais criativa com as posições sexuais. No terceiro trimestre você começa a sentir dor nas costas e dificuldades para dormir, o que pode deixar sua energia e desejo sexual mais baixos. 

O orgasmo no terceiro trimestre pode ser frustrante. Isso acontece porque você vai ter mais dificuldade de chegar a um orgasmo, e se você chegar, pode ser menos satisfatório. Isso tem a ver com o aumento do seu útero. As contrações do orgasmo vão ser menos satisfatórias.

Seu corpo durante um orgasmo

Entender o que é um orgasmo e como ele acontece pode ajudar a diminuir seus medos e ansiedade ao redor da sexualidade e gravidez. A excitação sexual pode começar com um pensamento, uma imagem, ou um toque casual. 

Seu coração começa a bater um pouco mais rápido. Você pode corar, não só em suas bochechas, mas em outras áreas do seu corpo como o colo e o pescoço. O fluxo sanguíneo aumenta nas suas genitais, e a área fica inchada e sensível ao toque. 

As glândulas de Bartolin - que ficam ali na direita e na esquerda da sua abertura vaginal - liberam fluidos de excitação que podem lubrificar a vulva toda. O clitóris tem mais de 8000 terminações nervosas. Se você puxa o capuz do clitóris para cima suavemente, você vai sentir ele maior e mais sensível ao toque. Conforme a excitação sexual aumenta, seus músculos começam a tensionar por todo seu corpo. O canal vaginal também fica mais estreito. 

A tensão geral dos músculos e da sensitividade aumentam conforme a estimulação sexual continua. E se um orgasmo ocorrer, os músculos da vagina, ânus e útero se contraem. Essas contrações involuntárias são parte da sensação física de alívio que vem junto com um orgasmo. 

Enquanto tudo isso está acontecendo, o corpo libera um cocktail de hormônios, incluindo uma boa dose de ocitocina e endorfina. A ocitocina é chamada de “hormônio do amor” porque promove uma sensação de pertencimento com seu parceiro e também diminui a dor. As endorfinas - também liberadas ao final de um exercício físico - também reduzem a dor. 

Contrações depois de um orgasmo

Orgasmos podem causar uma leve cólica depois do sexo e, em uma gravidez avançada, estimular as contrações de Braxton Hicks, as famosas contrações falsas ou de treinamento. Mas as contrações de um orgasmo não causam parto prematuro ou aborto espontâneo, a não ser que você especificamente tenha o risco de um parto prematuro. 

As contrações uterinas pós sexo podem ser uma nova experiência, especialmente se você nunca teve cólicas depois do sexo no passado ou se você não notou contrações uterinas depois do sexo quando você não estava grávida (poucas mulheres notam). 

A contração uterina é normal e natural e faz parte do orgasmo, esteja você grávida ou não. Você começa a notar um aumento dessas contrações porque seu útero está aumentado e você começa a notar mudanças no seu corpo grávida. 

Avaliando cólicas

“A contração uterina pode acontecer depois do orgasmo", conta o Dr. Krychman. “Essas são cólicas irregulares, com pouca intensidade e são facilmente resolvidas. A contração uterina é um resultado das mudanças hormonais que acontecem com o orgasmo”. 

Para diferenciar as contrações de treino (ou falsas) e as contrações de trabalho de parto, “fique atenta ao aumento das contrações e sua intensidade, e se elas estão regulares” - conta Krychman. As contrações de parto tem intervalos regulares e intensificam com o tempo. 

Contrações que não tem muito problema ficam menos intensas e gradualmente diminuem, e podem parar ou diminuir se você se movimentar ou mudar de posição. Se você não tem certeza, ligue para seu médico. 

A intensidade de um orgasmo

Para muitas mulheres, a gravidez pode aumentar o prazer sexual. Na verdade, muitas mulheres sentem um aumento no prazer sexual e algumas mulheres que nunca tinham tido orgasmo sentem pela primeira vez na gravidez. Existem algumas razões para esse aumento no prazer sexual. 

  • O aumento de fluxo sanguíneo na região pélvica: a excitação sexual e a gravidez envolvem um aumento de fluxo sanguíneo para a região pélvica. 
  • Sensação de inchaço na região pélvica: o aumento de fluxo sanguíneo também significa um leve inchaço dos parte interna e externa da vulva e do clitóris. Isso significa que é mais fácil você entrar no estado de excitação.
  • Sensibilidade aumentada ao toque: o fluxo sanguíneo, mais o inchaço, mais o aumento de hormônios podem aumentar a sensibilidade ao toque. Isso pode tornar os orgasmos e os orgasmos múltiplos mais fáceis. 
  • Aumento dos seios e da sua sensibilidade: durante a gravidez, seus seios vão ficando prontos para a amamentação. Essa preparação inclui um aumento nos seios e no seu fluxo sanguíneo e o começo de uma produção de leite. Seus seios podem ficar mais sensíveis ao toque, e durante a excitação sexual e o orgasmo, algumas gotas podem vazar. 

Sonhos eróticos

De acordo com a American Academy of Sleep Medicine, 8% dos sonhos adultos têm conteúdo sexual. Os sonhos eróticos acontecem em mulheres e homens. Homens e mulheres podem ter a experiência de um orgasmo durante um sonho - cerca de 4% das vezes.  

Durante a gravidez, as mulheres têm uma maior tendência a ter sonhos eróticos e têm mais probabilidade de chegar ao orgasmo durante o sonho. Muitas vão vivenciar o seu primeiro sonho erótico que parece quase real. 

Os sonhos eróticos acontecem com mais frequência no segundo trimestre. Isso significa um maior fluxo sanguíneo na região pélvica. Seu corpo fica fisiologicamente excitado até durante o sono. 

Você tem mais chances de ter um sonho erótico se não estiver fazendo sexo com frequência. Se a ansiedade ou o medo do sexo te fazem ficar longe da masturbação ou do seu parceiro, seu corpo pode resolver as coisas para você durante o sono. 

Se o seu médico te falou para não fazer sexo e você teve um orgasmo durante o sono, não se preocupe. Se você começar a sentir contrações regulares e intensas ou outros sinais de parto prematuro, fale com seu médico. Mas é extremamente improvável você gozar no seu sono ou isso ser um gatilho para o parto. 

Induzindo o parto 

A sabedoria popular fala que fazer sexo ajuda a induzir o parto caso você esteja perto da data prevista ou já tenha passado dela. Embora não seja comprovado, existem alguns estudos que dizem que a concentração de prostaglandinas é de a 50 vezes maior depois das relações sexuais. As prostaglandinas são os hormônios que estimulam as contrações uterinas, entre outras coisas. 

Embora esse aumento de hormônios que ajudam o parto, as pesquisas não descobriram se o sexo pode induzir o parto - o cérvix tem que estar pronto pra isso. 

Foi realizado um estudo randômico controlado em mulheres grávidas que iriam a dar a luz em duas semanas e tinham relações sexuais pelo menos duas vezes por semana ou se abstinham sexualmente. A taxa de parto foi igual para os dois grupos.

Em outras palavras, o sexo não fez o parto acontecer mais rápido. Na verdade, o sexo não é ligado ao parto prematuro, e alguns estudos descobriram que as relações sexuais no final da gravidez eram associados com menos risco de um parto prematuro.

Orgasmos durante o parto

Você pode ter escutado que algumas mulheres têm orgasmos durante o parto. Isso não é um mito. É um tabu e um tópico que não tem muita pesquisa, ainda não é claro a quantidade de pessoas com clitóris que vivenciam um orgasmo durante o parto.

Fisiologicamente, existe uma explicação. A pressão e a estimulação da cabeça do bebê descendo o canal vaginal pode estimular os nervos que são gatilhos para o prazer sexual. A sensação do bebê inteiro no canal vaginal pode inclusive reduzir a dor do parto, ou virar uma mistura de dor e prazer.

Os orgasmos durante o parto não são um objetivo ou uma meta a ser atingida.

Não se sinta mal se não acontecer com você.

Esse tipo de orgasmo tem mais a ver com a fisiologia única da pessoa do que algo que você possa ter controle.

Você não deve se sentir envergonhada ou sem graça se isso acontecer com você. É algo perfeitamente normal (considere-se sortuda!). 

Escrito por Tradução livre de artigo publicado originalmente no Very Well Family. Leia o artigo original.

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

 

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima