Sexo anal: tudo o que você queria saber

Primeiro era chocante, depois virou uma sensação cultural, e agora é praticamente normal na intimidade de um casal - é só ver a história da pornografia e dos filmes. Mas a realidade é que não, nem todo muito está fazendo sexo anal, segundo o psicanalista e pesquisador Paul Joannides, que escreveu o livro “The Guide to Getting it On!” - usado na faculdade de medicina e de educação sexual nos Estados Unidos e Canadá. O livro é incrível não só pela informação factual como aspectos práticos de tudo que você pode pensar sobre sexo - como a tom sem julgamentos e preconceitos, super bem humorado.  

O CDC relatou que o número de homens e mulheres heterossexuais que tentarem fazer varia entre 30% e 40% (o CDC não tem os dados de quantos homens homossexuais já fizeram, a não ser uma estatística que combina com sexo oral). Se o sexo anal te excita, você definitivamente não está sozinho, mas isso não muda o fato que é atividade sexual mais arriscada em termos de doença sexualmente transmissíveis e HIV. Perguntamos para o Joannides todas as possibilidades para fazer um sexo anal seguro e prazeroso. 

Quando o sexo heterossexual anal começou a virar uma tendência?  

Nos anos 80, eu lembro de escutar de uma amigo que ele tinha uma fita cassete de um filme pornô com sexo anal. Parecia algo chocante naquele tempo (isso foi antes do Netflix: tudo estava em fita cassete, da pornografia até os filmes da Disney até a Olimpíada. As locadoras de vídeo estavam em todos os lugares). Eu não sei se muitos jovens ficariam chocados e ou até surpresos ao ver sexo anal no Pornhub ou XVideos. 

Como a pornografia ficou tão fácil de acessar como o Youtube, as produtoras de pornografia tiveram que lutar pelos cliques, e a pornografia ficou mais extrema. Eu diria que em 2005, a pornografia apagou completamente a distinção entre o ânus e a vulva de uma mulher. Isso não era porque as mulheres estavam implorando para seus parceiros por sexo anal, mas sim porque os produtores estavam com medo que você clicasse na pornografia de outra pessoa. 

A popularidade do sexo anal na pornografia reflete na realidade de casais homossexuais e heterossexuais?

Não. Mas existem casais que gostam muito de sexo anal, talvez de 10% a 15% dos casais heterossexuais. Mas se você perguntar a frequência de sexo anal vs vaginal, eles provavelmente vão falar que preferem fazer seco anal uma vez em cinco dez vezes do que sexo no com penetração vaginal. Nós ocasionalmente, uma vez por ano, escutamos mulheres que preferem fazer sexo anal que vaginal, mas isso é bem raro. 

Para homens gays, as estatísticas variam muito, e os estudos não são sempre consistentes em como eles coletam os dados - alguns podem ter diferentes níveis de frequência - você só fez sexo anal uma vez no último ano, ou você faz regularmente? Eu vi estudos que sugerem que 65% dos homens fazem sexo anal, outros sugerem ser menos de 50%. Então não temos os números exatos para casais hétero e homossexuais, mas existem dados sugerindo que uma boa porcentagem de homens gays preferem receber e fazer sexo oral do sexo anal. 

Como nós modificamos o sexo anal que vemos no pornô e adaptamos para um casal da vida real? 

A forma que nosso reto se curva bem acima da abertura do ânus nos diz que nós temos que fazer vários ajustes para o sexo anal ser bom. A natureza colocou dois esfíncteres na abertura do ânus para manter nossa dignidade em lugares cheios (ou seja, para evitar que defequemos em público) - isso quer dizer que existe um reflexo automático se você puxar contra esses esfíncteres do lado de fora. 

Então, uma das primeiras coisas que uma mulher ou um homem precisa fazer se ele quiser receber sexo anal, é ensinar o músculos do esfíncter a relaxar o suficiente para um pênis passar por ali. Isso requer muita prática. 

E também, ao contrário da vulva, o ânus não tem lubrificação. Então além de ensinar nossos esfíncteres a relaxarem, além de acharmos o ângulo certo para não atingirmos o reto de uma maneira desconfortável, você precisa de muito lubrificante. 

Nada disso é mostrado na pornografia. Eles não mostram comunicação, feedback, ou confiança. Casais que não tem uma excelente comunicação sexual, que não dão e recebem feedbacks ativos sobre o que é gostoso e o que não e não tem um nível de confiança bom não devem fazer sexo anal. 

Quais são os riscos de saúde do sexo anal? 

Uma mulher tem 17 vezes mais risco de ter HIV e AIDS fazendo sexo anal do que com penetração vaginal. Então seu parceiro deve estar usando uma camisinha e muito lubrificante, a não ser que vocês dois sejam realmente monogâmicos, sem nenhuma doença sexualmente transmissível. Qualquer doença sexualmente transmissível pode ser transmitida ou recebida pelo ânus. Como o ânus e o reto tem mais probabilidade de terem traumas durante o sexo anal, as chances de ter uma doença sexualmente transmissível é mais alta do que com sexo no canal vaginal. 

Sexo anal sem proteção, independente se praticado por casais héteros ou gays, é considerado uma atividade de risco para DSTs devido ao design físico do ânus: ele é estreito, não tem lubrificação, e a pele é mais frágil e facilmente machucada, facilitando que DSTs como HIV e Hepatite vão para corrente sanguínea. 

Esses são riscos que são diminuídos com o uso de camisinhas e lubrificantes, ou ainda vão ter mais alguns riscos? 

Os riscos são substancialmente reduzidos com o uso de camisinhas e lubrificantes - o uso correto deles - mas você não vai achar camisinhas para vender com a mensagem “seguras para sexo anal” porque os órgãos de saúde não indicaram explicitamente o uso do camisinha para sexo anal. Com isso falado, a pesquisa indica que camisinhas normais e mais grossas são ideais para sexo anal. 

Sobre usar camisinhas femininas para o sexo anal, os estudos falam de mais deslize e dor que as camisinhas normais. 

Não use lubrificantes anestésicos, e não faça sexo anal bêbado ou alterado com drogas recreativas. A dor é um fator importante que pode ter algum machucado se você não fizer os ajustes necessários, incluindo parar. Se tiver dor, tente substituir o pênis por um dedo bem lubrificado e com luva. A luva vai ajudar o dedo a fluir mais fácil, o que pode ser uma experiência de maior prazer. 

Existe consequências para saúde em fazer anal ao longo do tempo? Você tem um limite de quanto pode fazer?

Um dos consultores urologistas do meu livro acredita que sexo anal sem proteção pode ser uma maneira de bactérias irem paras a próstata masculina. Ele recomenda que pessoas com pênis usem uma camisinha. 

Também existem pequenos restos fecais que podem ficar na uretra do homem. Então se um casal faz sexo vaginal e varia com sexo anal sem camisinha, o parceiro masculino deve urinar antes, além de lavar o pênis com água e sabão. 

Os enemas pré sexo anal fazem alguma diferença em termos de segurança para saúde? Previnem acidentes? 

Eu não conheço nenhum estudo sobre a relação dos enemas anais e a saúde. Mas como conhecimento popular, as pessoas parecem que dividem opiniões. Depende da pessoa. Algumas pessoas gostam de fazer a “chuca”, que é um enema rápido com chuveirinho ou enemas prontos comprados na farmácia. Em todo caso, acidentes sempre podem acontecer, então é bom estar atento. 

Que exames as pessoas deveriam fazer antes de fazer sexo anal?

Existe o “deveriam” e existe a realidade. Se eu estivesse praticando sexo anal, eu me certificaria que meu parceiro não teria nenhuma DST antes de o encontrar. 

Mais pessoas tentam fazer sexo anal hoje que no passado - existem maneiras de fazer a primeira experiência ser prazerosa? 

Os dois deveriam ler tudo sobre sexo anal antes. Passe algumas semanas ajudando o parceiro a treinar os esfíncteres para relaxarem. Tenha certeza que você e seu parceiro tem uma ótima comunicação sexual, confiança e os dois estão com vontade de fazer, ao contrário de um estar pressionando o outro. Não beba ou use drogas recreativas e não use lubrificantes anestésicos. Se não se sentir bem, pare. 

As pessoas tem orgasmos com estimulação anal? Isso é comum ou incomum? 

Algumas mulheres falam que têm orgasmos incríveis pelo sexo anal, mas geralmente elas gostam que sejam estimuladas no clitóris ao mesmo tempo. 

Quantas vezes demora para a pessoa gostar de sexo anal? Existem posições que facilitam? 

Dependendo do quanto você quer trabalhar a receptividade dos esfíncteres anais do parceiro para relaxar, o quão boa é a comunicação dos dois, o quanta confiança existe, e provavelmente a grossura e o tamanho do pênis. O bom senso diz que um pênis normal, sem ser o que vemos no pornô, vai ser mais prazeroso. 

Deveríamos falar para as nossas crianças do sexo anal?

Não falamos da existência do clitóris, dos orgasmos da mulher, da masturbação, da importância de explorar o corpo do parceiro e de aprender um com o outro. Não falamos sobre o quanto o que eles vêem no pornô é irreal, e não falamos na importância do consentimento. Eu não acho que sexo anal deveria estar no topo da lista de prioridade dos pais. Existem outras coisas mais importantes que deveríamos falar antes. 


Entrevista com Paul JoannidesTradução livre de artigo publicado originalmente no Goop. Leia o artigo original.

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima