Como se masturbar: um guia do prazer feminino

Muitas vezes nossa educação sexual começa com nós mesmas, como aponta a educadora Isabella Frappier no terceiro episódio do The Goop Lab no Netflix. Frappier mora em Los Angeles e faz workshops e atendimentos individuais para ajudar as pessoas a construírem intimidade e aumentar o prazer sexual. E o prazer, ela fala, começa de dentro. Quando as pessoas perguntam para ela sobre a própria vida sexual, ela os ajuda a explorar e descobrir a própria sexualidade através de práticas guiadas e uso da intuição para ajudar a fazer as descobrirem o que as satisfaz. 

Um guia do prazer

“O que nos limitar a vivenciar o prazer ao máximo? Com uma doula de sexualidade, eu tenho conversas íntimas com várias pessoas, especialmente mulheres, sobre as experiências delas com o prazer. Parte o meu coração escutar muitas histórias sobre pessoas que abdicaram do prazer em suas vidas. Entretanto, eu estaria mentindo se eu falasse que não entendo completamente o que elas sentem e tenho capacidade de sentir empatia com suas situações.

Antes de eu começar esse lindo trabalho, eu passei a maior parte da minha vida com vergonha do meu corpo e em desconexão com meu corpo. Para ser honesta, eu odiava meu corpo. Eu comecei a desenvolver distúrbios alimentares na minha juventude que demoraram anos para me recuperar. Eu só fazia sexo com performance e desconectado da realidade. Raramente me masturbava, e quando o fazia, era de maneira apressada e ficava cheia de vergonha depois. Eu estava completamente alheia ao meu corpo como uma fonte de prazer e poder. 

Eventualmente, eu parei de me sabotar. Comecei a namorar comigo mesma. Comecei a passar tempo descobrindo o que eu gostava dentro e fora do quarto: comprando flores frescas e lingeries incríveis, cozinhando comidas saudáveis, tirando autorretratos sensuais, passeando na natureza, e dedicando tempo para estudar meu corpo. 

Comecei a ler sobre o útero, o poder sexual, e estudos ancestrais e intuitivos sobre prazer. Cada palavra alimentava minha alma. Aos poucos, comecei a ficar mais ligada com meu próprio corpo. 

Eu estou dividindo isso porque é algo que pode trazer vergonha e vulnerabilidade, e é difícil admitir que tive esses percalços no meu caminho. Eu entendo a dor porque eu também já senti. 

Existem alguns “bloqueios de prazer” que eu vi ao longo dos anos que são comuns às pessoas que estão curando suas feridas (spoiler: eu já tinha sofrido com tudo o que vou falar). Os sintomas são únicos e se apresentam de formas diferentes em cada cliente, mas sempre em uma combinação de um ou mais dos bloqueios que vou falar. 

Os três bloqueios de prazer mais comuns

Presença do prazer limitada

Mais conhecido como “estou presa nos pensamentos”. Esse bloqueio fala muito sobre empacar na cabeça nos momentos de prazer. Quase sempre tem algum assunto pendente relacionado à falta de autoestima e não merecimento do prazer, o que te limita a conhecer seu corpo por completo e vivenciar a beleza dele. Os sintomas são os fingimentos de prazer, a desconexão mental com a realidade na hora do sexo e pensamentos negativos constantes sobre a sexualidade. 

Eu gozo sempre depois

Você coloca todo mundo e tudo como prioridade. Você sente que você não tem tempo para seu autocuidado e auto amor, e você se sabota - mesmo inconscientemente, acha que seu prazer não deve ser priorizado. Não é que você prefira não fazer nada ao invés de um banho de banheira demorado ou a fazer sexo, mas você acaba se encontrando nessa situação. Você literalmente “goza depois” - isso se gozar. Quando você se doa o dia inteiro, pode ser difícil você virar a chave e se priorizar. 

Dificuldades com a autoimagem

Esse bloqueio é difícil para todos, mas particularmente para mulheres, negras, gordas, não binárias e qualquer uma que viva em um corpo na sociedade ocidental atual. Isso se manifesta como qualquer tipo de desconforto emocional ou mental em relação ao seu corpo. Os sintomas são a fala depreciativa, colocar seu corpo em situações desconfortáveis e não se dar o tempo e espaço para o sexo que você merece.

Identifique e cure todos os seus bloqueios sexuais. São únicos e pessoais, e não existe uma solução única para todos. Mas temos algumas dicas para sua jornada.

Então, qual é a cura?

1: Reflita

Passe um tempo sozinha para refletir na maneira que você se enxerga, como você sua vida, seu corpo, seu relacionamento com o prazer. Eu acho muito importante você manter um diário, e considerar as seguintes questões:

  • Como eu me defino como um ser sexual?
  • Como é minha narrativa quando me masturbo? Como isso muda quando tem outra pessoa envolvida? 
  • Como eu realmente me sinto em relação ao meu corpo? Como eu gostaria que fosse esse sentimento? Quais são os três passos pequenos que posso dar para chegar mais perto do sentimento que desejo? 

2: Divida

Pode parecer ser intimidador, mas dividir sua jornada pode realmente te ajudar. É bom saber que você não está sozinha. É importante você fazer isso de uma maneira segura, sem julgamentos, e sexo positiva. Idealmente, você deve fazer isso com pessoas que sabem não projetar seus sentimentos enquanto você fala. É legal você dividir um drink com um amigo próximo, procurar um apoio profissional de um educador sexual ou terapeuta, e até achar um espaço seguro online para conversar. É muito importante ter esse suporte para processar e largar narrativas antigas de cena. 

3: Cura

Esse passo vai acontecendo gradualmente, conforme você vai avançando na sua jornada. Uma vez que você refletir e dividir, você vai ter um senso mais claro dos seus bloqueios de prazer e das suas feridas não curadas. Assim, consegue identificar qual o melhor remédio.

Por exemplo, se você tem problemas em se amar e celebrar seu corpo, tire auto retratos e selfies sensuais e divida com seus amigos mais próximos, ou pendure na sua casa. Se você está com dificuldade de se colocar em primeiro lugar, agende um tempo todo dia para se dedicar ao seu prazer, mesmo que sejam cinco minutos. 

Esse passo te ajuda conectar com sua própria intuição e cura interna. Eu realmente acredito que cada pessoa tem as ferramentas e conhecimentos necessários dentro dela mesma, e eu só ajudo para ela enxergar tudo isso com uma maior facilidade. 

4: Pratique

Agora que você já chegou até aqui, provavelmente você vai vivenciar o mais clássico desafio de todos: ser humano. Você vai agendar um tempo para seu auto prazer e vai cancelar. Você quer comprar um vibrador, mas acaba gastando o dinheiro em outra coisa.

Tá tudo bem. Todos nós, humanos, estamos tentando fazer o nosso melhor. Na minha opinião, esse é o passo mais importante. É quando estamos ligadas em nós mesmas e mais vulneráveis. Nós devemos compreender que quando baixamos a guarda estamos entendendo melhor quem nós somos.  

5: Dedique-se

Se dedique ao amor e a celebrar você mesma como um ser erótico. Esse é um passo importante e pessoal. Não é como se estalarmos os dedos e de repente começamos a nos amar e nos sentir merecedoras de prazer. Descubra o que funciona para você e dedique-se. Agende. Faça que isso seja tão importante como um compromisso no seu calendário.

Eu encorajo os meus clientes a sentir mais prazer nas tarefas que já fazem. Isso quer dizer que você não precisa de tempo extra no seu dia. Algumas maneiras práticas:

  • Precisa cuidar da casa? Medite, concentre no seu corpo e foque nos sentidos. Note como a água é morna e gostosa, como a esponja é áspera, no cheiro da roupa limpinha no varal. Não é o suficiente? Coloque um plug anal ou um vibrador portátil e tente de novo. 
  • Presa no trânsito? Tente escutar uma playlist erótica. Nós temos várias playlists interessantes no Spotify. Medite. Pratique o fortalecimento do assoalho pélvico. Toque algum podcast erótico. Cada momento pode ser um momento de prazer com você mesma.   
  • Está comendo? Coma bem devagarinho. Saboreie cada mordida, a textura e o gosto. Pense como é incrível você poder se nutrir com essa comida gostosa. 

A magia do ritual

Enquanto todas as ferramentas acima podem te ajudar a prosperar seu prazer, existem outras maneiras de se cuidar - como através de rituais. Eu uso os rituais como uma maneira de me conectar comigo mesmo e compreender meu corpo intuitivamente. 

Prepare seu ritual

É legal você fazer uma limpeza da energia da sua casa, você mesma, com itens como pauzinhos de canela,  sálvia, alecrim, lavanda, arruda e palo santo. Tente se certificar que a sálvia e o palo santo são sustentáveis e de comércio justo. Você pode limpar sua casa ainda com um umidificador e um óleo essencial. Um banho antes pode ser uma ótima maneira de limpar, aterrar e se conectar energeticamente com você mesma. 

É legal também limpar sua mente através da visualização. Você pode imaginar uma luz branca, dourada ou arco íris em cima de você. Se quiser incorporar cristais, selenita é um ótimo cristal para usar para essa limpeza. 

Pode ser que você queira trocar os lençóis, colocar algumas pétalas de rosa na sua cama e vestir uma lingerie que você ame. Talvez seja legal acender uma vela para marcar o começo do seu ritual e apagar quando você acabar. Faça tudo de um jeito autêntico para você. Não existe jeito certo ou errado.  

Ritual de imersão no prazer: para quem está com bloqueio de prazer limitado

  • Vista: Limpe o espaço, troque os lençóis, ligue uma luz mais suave, acenda velas, flores frescas, ou qualquer item decorativo que você ame olhar.
  • Olfato: velas perfumadas, flores frescas, óleos essenciais ou incenso.
  • Paladar: Faça um prato com as comidas que você ama: chocolate, frutas, mel...
  • Tato: Coloque diferentes texturas à sua disposição, das mais fofinhas até as aveludadas, até itens como escovas de cabelo e plumas podem ajudar.   

Uma vez que está tudo pronto, vire a protagonista no meio desse mar sensorial. Explore cada objeto que você quiser. Veja quantos sentidos diferentes você pode usar por objeto. Por exemplo, uma rosa pode ser cheirada mas também beijada, mordida, passada ao longo do seu corpo e visualmente admirada.

Tenha certeza que você está respirando bem. Inspire pelo nariz e solte pela boca, respirando toda essa sensação prazerosa e exalando todas as narrativas velhas e energias que não servem mais. Esse ritual pode incluir estimulação na sua vulva ou não - faça o que você sentir mais confortável. 

Ritual “Eu venho primeiro”: para aqueles que sempre vêm por último 

Eu amo trabalhar com arquétipos eróticos com meus clientes, e uso essas ferramentas na vida pessoal. Quando as pessoas têm contato com essa técnica, às vezes elas ficam com receio de parecer que estão atuando ou fingindo, mas não é nada disso que eu espero que você faça. Com esse arquétipo, eu quero que você entre em contato com um aspecto fundamental do seu ser - um que você pode ter reprimido - e empodere esse seu lado e consiga se expressar. 

Para esse ritual, considera os aspectos da sua vida que “vem primeiro” na sua vida e na sua cama. Existe uma pessoa dentro de você que gostaria de se colocar em primeiro lugar? O que a sua outra versão vestiria? Como se portaria? O convite para isso é específico. Quando eu tento acessar um novo arquétipo erótico, eu amo fazer um diário sobre como seria um dia na vida desse arquétipo. Eu considero o que ela comeria, como se vestiria, que tipo de expressões sexuais teriam e como iriam falar. Se permita explorar sem julgamentos. 

Uma vez que você entender esse arquétipo, veja se você consegue nomeá-lo. Você pode ser bem específica ou bem genérica - de Paula a Sabrina até apelidos e nomes fantasiosos inspirados em rainhas, reis, deusas e deuses. O céu é o limite. Considera o que você tem em casa ou compre coisas novas para se adequar a essa versão. 

Quando você se sentir pronta, explore sozinha ou com um parceiro enquanto está com esse arquétipo erótico. Essa é uma prática poderosa, então tente manter a mente aberta. Alguns dos meus clientes ficaram chocados ao descobrir que gostavam de criar arquétipos e viver fantasia. É para ser um momento sem julgamentos, só para sua exploração e prazer.

Ao acabar, escreva no seu diário o que você aprendeu sobre esse arquétipo. Algo te surpreendeu? Como você consegue trazer mais essa energia sexual no seu cotidiano?

Ritual “Eu sou o prazer”: para quem têm dificuldades de auto imagem

Se eu tivesse que escolher uma coisa que eu já fiz que mais melhorou minha percepção do meu corpo e meu auto amor seria esse ritual. Prepare todas as ferramentas que você gostaria de usar para fazer um retrato de si mesma. Você pode usar uma câmera de boa qualidade em um tripé, colocar o celular como selfie com um timer, tirar polaroids e até mesmo usar a webcam do seu notebook. Faça o que for mais conveniente. 

O próximo passo é colocar adornos que te fazem sentir autêntica e sensual - e ao mesmo tempo confortável. Você pode ficar nua, usar uma linda lingerie, usar as calcinhas mais confortáveis ou usar roupas de malhar e/ou pijamas - o que você quiser e que te faz sentir bem. Eu adoro usar enfeites para os retratos. Ao longo dos anos, já usei alguns:

  • Plantas, flores frescas, flores falsas, flores secas
  • Jóias e acessórios, glitter corporal, joias corporais, body chains
  • Frutas, velas, vibradores, e qualquer item sensual que você se conecte: sejam algemas, cordas ou plumas
  • Diferentes tecidos para se enrolar e brincar

Considere onde a foto vai ser tirada. Onde você se sente mais confortável? Na sua cama, no banho, no quintal, na praia? Tem que ser algo dentro da lei, mas também tem que funcionar para você. A luz é outro fator. Talvez você queira sombras dramáticas - aí é melhor as fotos serem no pôr do sol. Talvez você queira uma luz dourada - nesse caso, a parte da tarde é recomendada. Se você quer um aspecto mais moderninho, use luzes fluorescentes (fica muito bom quando combinado com câmeras de baixa qualidade e apps como o Huji Cam). 

Agora coloque uma playlist sensual, feche os olhos, e mexa seu corpo de um jeito que te faz sentir bem. Não se preocupe em como isso vai parecer, só se divirta com a experiência de ter um corpo. Sinta seu corpo mover-se de maneiras que podem ser sensuais para você. Quando estiver pronta, comece a tirar fotos de você mesma. É legal usar um timer e dançar com os seus olhos fechados - assim você consegue um resultado autêntico. 

Não julgue as fotos, mas tire todas as que você quiser. Está tudo bem se você quiser 200 fotos até achar uma que você goste. No entanto, tente notar todas as coisas lindas sobre você em cada uma, mesmo que tenha coisas que você não goste. Talvez sua expressão facial seja meio boba, mas você gostou da curva das suas costas ou dos seus joelhos dançando. 

Acabe o ritual quando sentir-se pronta. Pode incluir estimulação na vulva ou não - depende do que você. Repita esse ritual quando quiser. Em um certo momento da minha vida, eu fazia isso diariamente. Lembre-se: não existem julgamentos. Seja gentil com você mesma e antes de deletar uma foto, pense em uma coisa que você gostou da foto. 

Acabando o ritual

Sua exploração não precisa incluir estimulação genital ou acabar em orgasmos, e também não deve acabar porque você conseguiu gozar. Conclua seu ritual quando você sentir sua energia começar a diminuir e você sentir que você completou a sua intenção daquela experiência. Se dê o tempo e espaço: eu recomendo se cobrir com um cobertor macio e escrever no diário suas reflexões.  Uma vez que você se sentir pronta, beba água, coma alguma fruta. Descanse. Visualize a energia voltando para seu coração. 

Escrito por Isabella FrappierTradução livre de artigo publicado originalmente na Goop. Leia o artigo original.

...

Somos Lilit. Uma das primeiras marcas brasileiras a desenvolver seus próprios vibradores como devem ser: criados por quem usa.

Conheça o Bullet Lilit, seu (novo) primeiro vibrador.

Deixe o seu comentário

Todos os comentários são revisados antes da publicação.

Comprar

O QUE ELAS DIZEM SOBRE O BULLET LILIT?

Entrega super rápida, embalagem cuidadosamente produzida, um cheirinho delicioso e um produto surpreende, já tive outros vibradores, mas nenhum com esse cuidado no acabamento, uma textura delicada, simplesmente PERFEITO! Já sou fã de carteirinha, até comprei um para minha melhor amiga.

Avaliação Anônima